Conferência “Reconhecimento do GOL em 1802 – Interesses em confronto”

Reconhecimento do GOL em 1802 - cartaz

No dia 13 de Dezembro de 2013, sexta-feira, pelas 19.00H, o Museu Maçónico Português leva a efeito no Palácio Maçónico, Rua do Grémio Lusitano nº 25, em Lisboa, a conferência Reconhecimento do GOL em 1802 – Interesses em Confronto, a apresentar pelo Dr. Manuel Pinto dos Santos, no âmbito do ciclo Sextas da Arte Real. Continuar a ler

Anúncios

Conferência “Constituições de Anderson e dos Antigos”

No dia 29 de Novembro de 2013, sexta-feira, pelas 19.00H, no Palácio Maçónico, o Museu Maçónico Português, realiza a conferência Constituições de Anderson e dos Antigos, apresentada pelo Dr. Salvato Telles de Menezes, no âmbito do ciclo Sextas da Arte Real.

GOL Continuar a ler

“Sextas Arte Real” no Museu Maçónico Português

Convite 

Arte Real  - Poster No dia 27 de Setembro de 2013, pelas 18.30H, na Sala Magalhães de Lima, do Palácio Maçónico, o Museu Maçónico Português realiza, no âmbito do ciclo Sextas da Arte Real, a conferência/debate As Origens da Franco-Maçonaria de 1717, a apresentar pelo Prof. Doutor José Manuel Anes, seguida da projecção do vídeo, “The Scottish Key”.  Continuar a ler

João Domingos Bomtempo

Quinta feira, dia 27 de setembro, a Assembleia da República vai realizar uma sessão de homenagem a João Domingos Bomtempo.

Esta homenagem conta com uma intervenção de Laureano Carreira e Gabriela Canavilhas e uma atuação de músicos do Conservatório de Lisboa.

Nascido em Lisboa, em 1775, e aqui tendo falecido em 1842, era filho de Saverio Bomtempo, músico da corte, vindo a estudar primeiro no Seminário da Patriarcal, em Lisboa, depois em Paris, tornando-se um dos mais importantes compositores portugueses. A sua passagem por Paris, em 1801, não é alheia às suas motivações políticas, sabendo-se que ali fez sucesso como pianista e conhecendo-se a sua grande amizade com Filinto Elísio. Homem de cultura, movia-se com algum à vontade nos meios culturais de Paris e Lisboa, sendo particularmente apreciado e ouvido na Salle Olympique, em Paris. O seu nome aparece ligado a Dussek e a Clementi, sendo através deste último que publica, em Itália, uma parte significativa da sua obra. Continuar a ler

Convent do Grande Oriente de França

No passado dia 1 de setembro o Grande Oriente Lusitano, através do Grão-Mestre e do Grande Secretário Geral, esteve presente no encerramento do Convent do Grande Oriente de França, onde o seu novo Grão-Mestre, José Gulino, apresentou as linhas gerais do seu pensamento para a gestão do GODF.

No seu discurso, José Gulino lembrou que a fraternidade não deve ser uma palavra vã, devendo ser aprofundada, ao mesmo tempo que se mantêm válidos os combates pela laicidade. Neste sentido, o GODF prometeu intervir junto dos poderes públicos  e das diversas associações laicas francesas, no sentido de sublinhar a importância democrática de uma sociedade laica, onde naturalmente ressalta a escola também baseada no laicismo.

Gulino lembrou ainda a importância da separação dos poderes, condição essencial para o respeito pelas liberdades, trabalho que vem do passado, mas que importa preservar e alimentar. Neste sentido, não deixou também de sublinhar o trabalho da maçonaria francesa no plano cultural e do debate de ideias.

O novo Grão-Mestre lembrou ainda as perseguições aos judeus logo antes e durante a Segunda Guerra Mundial, ou o retrocesso de algumas conquistas democráticas em alguns países europeus.

O Museu Maçónico Português na AMMLA

O Museu Maçónico Português passou a fazer parte da AMMLA desde o passado mês de julho. A adesão ocorreu durante o II Congresso da AMMLA – Associação de Museus, Bibliotecas e Arquivos Maçónicos, que decorreu em Roma, tendo sido aprovada por unanimidade.

Assim o Museu Maçónico Português faz companhia aos museus maçónicos da Bélgica, Islândia, Finlândia, Noruega, Áustria, aos Museus da Grande Loja de França, do Supremo Conselho de França, da Grande Loja da Escócia, ou das Bibliotecas dos Grandes Orientes de França e de Itália, das Grandes Lojas de França, Itália, Pensilvânia e Nova Iorque, entre outros.

Fundado em 1984 e reestruturado em 2005, o Museu Maçónico Português, reúne um acervo de peças que retratam a História da Maçonaria em Portugal, sendo também membro do ICOM – International Council os Museuns, produzindo várias exposições apresentadas quer nas suas instalações, quer junto de entidades com quem promove parcerias.

 

 

 

Freemasonry in Portugal

The introduction of Freemasonry in Portugal dates back to the second quarter of the eighteenth century.
Perhaps by 1727, was founded by British merchants in Lisbon an bookcases store that was known in the records of the Inquisition as the  “Merchant Heretics” because they are Protestants nearly all its members:. Continuar a ler

Faz Sentido a Maçonaria, Hoje?

O Director do Centro de História da Universidade de Lisboa, convida V. Exa a assistir à Conferência de Encerramento do III  Curso de História da Maçonaria, a proferir  pelo Dr. Fernando Lima de Valadas Fernandes, intitulada, Faz Sentido a  Maçonaria, Hoje?  que terá lugar no próximo  dia 25 de Julho de 2012  pelas 18h00m, no Anfiteatro III da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.