Comemorações do 5 de Outubro

O Grémio Lusitano vai celebrar o dia 5 de outubro enquanto data fundamental da nossa História e á qual a Maçonaria portuguesa está intimamente ligada.

Com estas comemorações o GOL dá também início às celebrações dos 210 anos de existência do GOL enquanto Obediência, o que a torna a segunda mais antiga da Europa.

Em Lisboa

11.00 horas – Deposição de uma coroa de flores na estátua António José de Almeida e alocução do Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano – Maçonaria Portuguesa;

13.00 – Almoço de confraternização a realizar no Grémio Lusitano;

16.00 – Visita guiada ao Museu Maçónico Português (entrada livre);

17.00 – Visita guiada ao Museu Maçónico Português (entrada livre);

18.00 – Conferência

O 5 DE OUTUBRO

press release

O dia 5 de outubro, dia da implantação da República em Portugal, é para muitos cidadãos um símbolo que paira acima das ideologias. É um símbolo de dádiva ao Bem Comum, de sacrifício, por vezes com a própria vida, onde o súbdito se transformou em cidadão, um cidadão pleno, consciente dos seus direitos e deveres. A prevalência do interesse público sobre os interesses privados no âmbito de uma ética social e pessoal ligada à honradez e à probidade, a cidadania participativa, a ética do serviço público, a soberania do povo, o regime democrático, a liberdade, a igualdade e a fraternidade são ideais de uma profunda actualidade, valores nem sempre acautelados numa sociedade competitiva como é aquela em que vivemos. O fim do poder hereditário na chefia do Estado, as grandes reformas do ensino ou o registo civil obrigatório, são alguns exemplos, entre muitos, da importância histórica de um momento chave na reforma das instituições nacionais e uma das datas mais identificadoras de um povo que, por isso, a tem comemorado com legítimo orgulho e patriotismo. Não se trata de dividir os portugueses entre si, sejam quais forem as suas convicções democráticas, mas antes de fazer refletir numa data as grandes mudanças sociais e culturais a ela inerentes e onde estão plasmados grandes valores da Humanidade, hoje generalizadamente aceites. Acresce ainda que, durante anos, foi uma data simbólica de oposição à Ditadura e da expressão da Liberdade. Vamos por isso continuar a comemorá-la em respeito pelos que nos que antecederam e nos legaram os valores que desfrutamos hoje!

Também por isso se torna importante hoje relembrar algumas ideias que estiveram na base do 5 de outubro e que podem ter sido esquecidas. Há cem anos atrás os homens e mulheres que  estiveram nas ruas de Lisboa fizeram-no tendo em vista a justiça social. Os tempos mudaram, mas a necessidade de uma melhor justiça, de obrigações equitativas e sem privilégios de espécie alguma, continuam como uma utopia numa luta por uma sociedade progressiva. Justiça e fraternidade é também a luta contra uma sociedade que por vezes esquece o valor do Ser humano, trocando-o por falsas quimeras.

Tal como em 1910 enfrentamos hoje grandes desafios. Acreditamos nos valores de outubro, cimentados num amor á cultura, ao ensino, e na valorização da pessoa na sua diversidade cultural e social. Acreditamos que o futuro pertence a todos os cidadãos, sem exceção, porque só a eles cabe a tarefa de levar a bom porto a construção de um país com oito séculos de História, cujo passado nos orgulha, onde o presente nos coloca desafios novos, onde o futuro nos exige uma estratégia inovadora na nossa relação com outros países ou continentes.

 

 

 

Anúncios