Conferência “Regularidade Maçónica”

Regularidade MaçónicaNo dia 28 de Março de 2014, sexta-feira, pelas 19.00H, o Museu Maçónico Português, realiza no Palácio Maçónico do Grémio Lusitano, a conferência “Regularidade Maçónica”, a apresentar por Prof. Doutor António Reis e Arq. António Marques Miguel, no âmbito do ciclo Sextas da Arte Real. Continuar a ler

Anúncios

O Eterno Retorno: Estudos em Homenagem a António Reis

livro Antonio ReisO ex-Presidente da Assembleia da República e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, Jaime Gama, apresenta hoje, às 18h30, na biblioteca da Assembleia de República, o livro “O Eterno Retorno: Estudos em Homenagem a António Reis”. Continuar a ler

Maçonaria – Ciclo de Conferências em Famalicão

O Grão-Mestre da Maçonaria Grande Oriente Lusitano é o primeiro convidado do ciclo de conferências “A Maçonaria em Portugal: do século XVIII ao século XXI”, que tem início a 17 de Fevereiro. Continuar a ler

CLIPSAS com assento na ONU

O CLIPSAS  (Centre de Liaison et de Information des Puissances Maçonniques Signataires de l’Appel de Strasbourg), organização maçónica internacional que reúne as Grandes Lojas e Grandes Orientes da maçonaria liberal, actualmente presidido por António Reis, ex-Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano, passou a ter assento, desde 25 de Julho passado, no Conselho Económico e Social das Nações Unidas (Ecosoc).

 Esta decisão só agora foi tornada pública, através de documentos da ONU.

Conheça o Apelo de Estrasburgo

António Reis Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano – XI Encontro da União Maçónica do Mediterrâneo

Intervenção de António Reis na UMM

O Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano-Maçonaria Portuguesa, António Reis, no XI Encontro da União Maçónica do Mediterrâneo subordinado ao tema:

“A Emergência de uma nova Governança Mundial”.

Montpellier, 9 de Abril de 2011

Na altura em que os países da margem Sul da Bacia do Mediterrâneo sofrem mudanças profundas, em virtude da sede de liberdade dos seus povos, seria mais profícuo que questionássemos, em primeiro lugar, não o que a Franco-Maçonaria pode fazer na perspectiva da emergência de uma nova governança mundial, mas sim na perspectiva do aparecimento de uma nova governança na região do Mediterrâneo, em sentido amplo. Tanto mais que hoje assistimos ao que se pode denominar de Primavera dos povos do antigo Mare Nostrum dos romanos e mesmo para lá dele, em que as lutas contra as diferentes tiranias multiplicam-se e mostram um enorme desejo de liberdade, mesmo se à custa de muito sangue derramado. Continuar a ler