Modernidade e Tradição

A Maçonaria na sociedade – do século XVIII ao século XXI

A tradição constitui-se como uma memória do passado, fundada na transmissão, onde estão presentes sinais, símbolos ou outras formas de registo, que desembocam no enriquecimento intelectual desde que também se constitua como um acto reflectido e na maior parte das vezes simbólico. Constituindo uma forma de interiorizar valores, ela é também mais do que um depósito de saberes que passa de mão em mão. Entendeu-se desde sempre em maçonaria de que o Conhecimento não se dá nem se recebe. Ele é fruto de um trabalho continuado baseado no estudo, na reflexão, na transmissão de saberes, mas muito especialmente, em simultâneo com uma crescente elaboração dos esquemas mentais de racciocínio. Estão assim criadas as bases para a existência de dois mitos: um primeiro da tradição, perdido na poeira dos tempos e outro de modernidade, criado com base no aperfeiçoamento individual. O primeiro justifica a repetição e a segurança, o segundo permite-lhe inventar-se todos os dias, criando uma dinâmica interna, que a Maçonaria transporta desde o século XVIII até aos dias de hoje.

15 Dezembro 2011, Quinta Feira, 14:00 Hr

ENTRADA LIVRE

Esta conferência integra-se no Ciclo Modernidade e Tradição e decorre no Edifício ID da  Universidade Nova de Lisboa,  Av. de Berna, piso 4,  sala multiusos 2

in gremiolusitano.eu

Anúncios