Barroso aos representantes de organizações filosóficas e não confessionais

80 milhões de europeus vivem abaixo do limiar de pobreza

Barroso aos representantes de organizações filosóficas e não confessionais

O encontro dos três Presidentes europeus – Barroso, da Comissão Europeia, Buzek, do Parlamento Europeu, e Von Rompuy, do Conselho Europeu – com representantes de diversas organizações filosóficas e não confessionais, que se realizou em Berlaymont, Bruxelas, no passado dia 15 de Outubro, foi uma ocasião única e de extrema importância, tendo permitido, ao mais alto nível, um profundo debate sobre os meios e os modos para lutar eficazmente contra a pobreza e a exclusão social, “um imperativo para a governação europeia”.António Reis, que participou na reunião em representação da Grande Oriente Lusitano – Maçonaria Portuguesa, considerou da maior importância que os responsáveis europeus, ao mais alto nível, assumissem tal compromisso.

Este encontro realizou-se pela primeira vez no novo contexto do Tratado de Lisboa, cujo artº 17 prevê que a União mantenha “um diálogo aberto, transparente e regular” com as religiões, as Igrejas e as comunidades de convicções.

José Manuel Barroso, presidente da Comissão, declarou: “Não podemos tolerar a pobreza e a exclusão no seio da União Europeia. A força da União é e será medida na medida da nossa capacidade de ajudar os mais vulneráveis. A União quer promover o crescimento, mas não é qualquer tipo de crescimento. Nós queremos um crescimento inclusivo numa economia social de mercado. A reunião de hoje oferece uma grande oportunidade para mobilizar todos os sectores da sociedade, nomeadamente as organizações filosóficas não confessionais, para estes objectivos”.

Barroso deu ainda números chocantes da realidade europeia no capítulo da pobreza e da exclusão: 84 milhões de pessoas vivem abaixo do limiar da pobreza, sendo que 20 milhões são crianças. E os jovens europeus são duramente atingidos pelo desemprego: 21 por cento estão nessa situação.

Jerzy Buzek, Presidente do Parlamento europeu, lembrou por sua vez que atacar a pobreza é o objectivo primeiro de 2010, declarado “Ano Europeu contra a pobreza e a exclusão social”, sublinhando que o Parlamednto Europeu adoptou desde sempre uma “posição firme contra essses flagelos”.

Por fim, Van Rompuy, Presidente do Conselho Europeu, considerou que a reunião contribuiria de forma relevante para chamar a atenção para o problema; lembrou que “a experiência dos dirigentes humanistas e filosóficos neste campo será muito útil para levar este desafio a bom porto”; e concluiu que “o objectivo comum é contribuir para que as pessoas confrontadas com a pobreza e a exclusão possam viver com dignidade e desempenhar um papel activo na sociedade”.

Como foi sublinhado, a promoção do emprego, da coesão social e de um crescimento inclusivo estão no centro da estratégia “Europa 2020”. E no capítulo da educação, os dois grandes objectivos são reduzir o abandono escolar para menos de 10 por cento e fazer com que pelo menos 40 por cento da população entre os 30 e os 34 anos tenha um curso universitário ou equivalente.

A discussão decorreu num espírito de franqueza e grande abertura, tendo os representantes oriundos de onze Estados membos da UE expressado o seu apoio à Estratégia Europa 2020 e aos seus objectivos no domínio social e na educação, ao mesmo tempo que deixavam claro que a crise actual apenas poderá ser ultrapassada desde que as pessoas e a justiça social sejam colocadas no centro das preocupações e das políticas europeia.

Participantes

Da vasta lista de participantes no encontro destacamos: Guy Arcizet, GM do Grande Oriente de France; Eugen-Ovidiu Chirovici, GM da Grande Loja Nacional da Roménia; Bertrand Fondu, GM do Grande Oriente da Bélgica; Alan Frommer, Presidente da Associação Europeia do Pensamento Livre; Pierre Galand, vice-presidente sénior da Federação Humanista Europeia e Presidente do Centro de Acção Laica; Paul Geisen, GM da Grande Loja do Luxemburgo; Paloma Martínez Lasierra, Presidente da Federação Espanhola “O Direito Humano”; Michael Nugent, Presidente dos Ateístas Irlandeses; Denise Oberlin, GM da Grande Loja Feminista de França; Vassilios Paktas, Presidente do Conselho da Ordem Maçónica Internacional ‘Delphos’ (Grécia); David Pollock, Presidente da Federação Humanista Europeia; Keith Porteous Wood, Director Executivo da Sociedade Secular Nacional (Reino Unido); Jean-Michel Quillardert, Presidente do Observatório Internacional para a Laicidade; Gustav Raffi, GM do Grande Oriente de Itália; António Reis, GM do Grande Oriente Lusitano; Jean-Claude Tardivat, GM da Grande Loja Nacional Francesa.

http://www.gremiolusitano.eu

Advertisements